Cardápio

Sertão Desconhecido

Pão de ervas de fermentação natural e manteiga feitos na casa

Na receita do pão, usamos ervas não convencionais como alfavaca, caruru e hortelã pimenta, cultivadas por produtores de Ribeirão Preto. A manteiga é feita à base de creme de leite produzido em Serrana (SP).

“Sertão desconhecido” era como nossa região aqui de Ribeirão Preto aparecia assinalada nos mapas da antiga capitania de São Paulo, isso há mais de 200 anos. Naquele tempo, sertão significava o interior despovoado, área distante das povoações e das culturas.

Caiapós

Prato vegano

Bolinhos de feijão andu, recheados de vatapá de milho e enrolados em folhas de taioba, com redução de leite de coco e shoyu. Neste prato, usamos o  feijão cultivado em Ribeirão Preto, assim como a taioba.

Há muitos e muitos anos, toda essa área onde hoje encontramos Ribeirão Preto, São Simão, Batatais, Sertãozinho e Cajuru era ocupada pelos índios Caiapós, os primeiros habitantes da nossa região.

Caminho dos Goiases

Tábua de queijos e embutidos artesanais, rosbife de carne serenada, picles de maxixe, castanha de baru, chips de polenta, figo cristalizado, mel e geleia da casa

Os queijos são da Serra da Canastra e da Serra da Mantiqueira, e a castanha de baru é nativa do Cerrado brasileiro. O rosbife de carne serenada, o picles de maxixe, os chips de polenta e a geleia são feitos na casa. O mel é produzido em Ribeirão Preto.

O Caminho dos Goiases foi uma rota bandeirista aberta em 1722 por Bartolomeu Bueno da Silva, apelidado Anhanguera. Saiu de São Paulo, passando em nossa região, em direção ao estado de Goiás, à procura de minas de ouro.

Sesmarias

Dadinhos de queijo Canastra com geleia de pimenta defumada

São cubos de queijo da Serra da Canastra empanados; defumamos a pimenta e fazemos a geleia na casa.

A rota bandeirista Caminho dos Goiases constituiu o eixo no qual foram concedidas 67 sesmarias entre 1726 e 1736. Sesmaria era o lote de terras distribuído a um beneficiário, em nome do rei de Portugal, com o objetivo de cultivar terras virgens. Uma dessas sesmarias foi concedida em 1733 a João dos Reis de Araújo. Em 1808, seus bisnetos fixaram nessa região a Fazenda da Figueira, ponto de partida do povoamento da área correspondente ao município de Ribeirão Preto.

Entrantes Mineiros

Filet da asa de frango, recheado de quiabo e empanado, com maionese de limão da casa

O frango é marinado com o leitelho (buttermilk), o soro que sobra da produção da manteiga. Os quiabos ficam na salmoura para dar mais crocância e a massa da empanada é feita com cerveja. A maionese de limão é feita na casa.

A decadência do ouro em Minas Gerais levou muitos mineiros a saírem de sua província em busca de terras férteis para prosperar. A partir de 1820, houve uma verdadeira corrente migratória, que foi crescendo ao longo do século 19, principalmente durante a expansão da cultura cafeeira em São Paulo. Em documentos da época, aqueles que haviam chegado à região aparecem como “entrantes mineiros”.

Barra do Retiro

Trio de bruschetas no pão de ervas da casa de fermentação natural, com coberturas diferentes: Cogumelos com creme de queijo Canastra, Sardella de manjubinha com maionese de limão e Palmito pupunha com coalhada seca

Os cogumelos são produzidos em São Carlos (SP) e o palmito pupunha vem de Taquaritinga (SP). Sardella, creme de queijo, maionese de limão e coalhada seca são feitos na casa.

Dentro da área da Fazenda Barra do Retiro, foi formado o patrimônio eclesiástico de São Sebastião. Ali foi construída a capela, em torno da qual tiveram origem o arraial, depois a vila e posteriormente, a cidade de Ribeirão Preto.

Paulista

Mix de folhas com palmito, manga e vinagrete de mel e mostarda

Neste vinagrete, usamos mel produzido em Ribeirão Preto e molho de mostarda feito na casa. Também fazemos o nosso próprio palmito em conserva.



Duas companhias de estradas de ferro disputavam as principais áreas de produção durante a expansão da lavoura cafeeira pelo Oeste Paulista no século 19. A Cia Paulista de Estrada de Ferro, a mais antiga delas, chegou primeiro à região de Ribeirão Preto, lançando um ramal que atravessou o Rio Mogi Guaçu e atingiu Barrinha. Mas a Cia Mogiana de Estrada de Ferro, sua rival, conseguiu antes, em 8 de junho de 1880, a concessão para alcançar Ribeirão Preto, chamada na época de Vila de Entre Rios, interceptando os propósitos da Paulista.

Mogiana

Mix de folhas, risoni com tomates assados, queijo Canastra curado e vinagrete de garapa

O queijo vem da Serra da Canastra e finalizamos a cura na casa. O vinagrete é feito à base de garapa e limão

Duas companhias de estradas de ferro disputavam as principais áreas de produção durante a expansão da lavoura cafeeira pelo Oeste Paulista no século 19. A Cia Paulista de Estrada de Ferro, a mais antiga delas, chegou primeiro à região de Ribeirão Preto, lançando um ramal que atravessou o Rio Mogi Guaçu e atingiu Barrinha. Mas a Cia Mogiana de Estrada de Ferro, sua rival, conseguiu antes, em 8 de junho de 1880, a concessão para alcançar Ribeirão Preto, chamada na época de Vila de Entre Rios, interceptando os propósitos da Paulista.

Pereira Barreto

Ravióli de pupunha recheado de abóbora e castanha de caju, com cogumelos salteados e demi glace de legumes

Neste ravióli, a massa de farinha é substituída pelas lâminas de palmito pupunha cultivado em Taquaritinga (SP). A abóbora é produzida em Ribeirão Preto e os cogumelos em São Carlos (SP).

Luiz Pereira Barreto foi o primeiro agrônomo brasileiro, diplomado pela Universidade de Bruxelas, na Bélgica. Proprietário e fundador da Fazenda Cravinhos, foi um grande divulgador da fertilidade das terras de Ribeirão Preto, onde morou entre 1905 e 1912.

Henri Dumont

Filet de sobrecoxa recheado de linguiça e macadâmia, com polenta cremosa, chips de ora pro nobis e pipoca de sagu

O fubá da polenta é moído no moinho de pedra numa fazenda em Itirapuã (SP). A macadâmia vem de Dois Córregos (SP) e a ora pro nobis, de Ribeirão Preto.

Considerado um dos três reis do café da sua época, Henrique Dumont adquiriu em 1879 a fazenda Arindeúva, de José Bento Diniz Junqueira, em Ribeirão Preto, que viria a se tornar a Fazenda Dumont e o município homônimo. Sua fazenda chegou a ser a mais moderna da América do Sul, com cinco milhões de pés de café, 96 km de ferrovias e sete locomotivas. Em 1883 foi inaugurado um ramal da Estrada de Ferro Mogiana até Ribeirão Preto, obtido por reivindicação de Henrique Dumont.

Franz Schimidt

Corte de paleta suína braseada, com repolho grelhado, chutney de abacaxi, batatas assadas e molho de mostarda

A carne suína é da raça duroc e vem de Pirassununga (SP). É assada em baixa temperatura e por um longo tempo, o que garante sua maciez e suculência. A mostarda usada no molho é feita na casa.

Denominado como o terceiro "rei do Café", Francisco Schmidt nasceu no Reino da Prússia como Franz Schmidt, foi fazendeiro, empreendedor e político prussiano naturalizado brasileiro, radicado em Ribeirão Preto. Em 1890, adquiriu a Fazenda Monte Alegre, em Ribeirão Preto, que chegou a ser a mais importante fazenda de café do Brasil. Atualmente é onde encontra-se o campus da USP.

Silva Prado

Ossobuco bovino angus braseado, com nhoque de batata ao molho da própria carne

A carne bovina é da raça angus e vem de Pirassununga (SP). É assada em baixa temperatura e por um longo tempo, o que garante sua maciez e suculência. O nhoque é feito na casa.

O nome do prato é uma homenagem à família Silva Prado e sua história cafeeira na região de Ribeirão Preto. Martinho da Silva Prado Junior (Martinico) foi proprietário da Fazenda São Martinho (1889) junto com seu irmão Antônio da Silva Prado, e da Fazenda Guatapará (1885). Com estas duas fazendas, Martinico e seu irmão Antônio foram, por algum tempo, os maiores produtores de café do mundo. Filho primogênito de Antônio da Silva Prado, Paulo da Silva Prado foi cafeicultor, investidor em negócios e também mecenas e escritor. Foi o maior financiador e também mentor dos artistas da Semana de Arte Moderna de 1922.

Terra Rossa

Fettuccine fresco e molho de tomate feitos na casa, pesto de manjericão e castanha de baru

A massa e o molho são produzidos por nós. A castanha de baru é nativa do Cerrado brasileiro.

Entre 1890 e 1902, a Província de São Paulo recebeu um intenso fluxo de imigrantes e, na cidade de Ribeirão Preto, a população sofreu um aumento de 340%, passando de 12.033 para 52.910 habitantes, dos quais mais da metade eram italianos. Terra roxa foi como ficou conhecida nossa terra vermelha entre os imigrantes italianos.

Diederichsen

Filet de peixe grelhado, com purê de abóbora e cenoura assadas, molho de peixe defumado e chips de banana

Damos preferência a peixes de rio, que sejam característicos da nossa região. O molho é feito à base de Katsuobushi, que são flocos de peixe seco e defumado, muito usado na culinária japonesa.

Dois nomes da família Diederichsen ficaram bem conhecidos na época do auge cafeeiro. Artur Diederichsen era diretor-tesoureiro da Sociedade Paulista de Agricultura e Indústria e proprietário da fazenda Monte Alegre, adquirida em 1890 em sociedade com Francisco Schmidt. Após a proclamação da República, Diederichsen tornou-se líder do Partido Republicano Paulista (PRP) na região de Ribeirão Preto. Embora tenha vindo administrar a fazenda do tio, Antonio Diederichsen tinha perfil industrial e aproveitou a oportunidade da falência do Banco Construtor e Auxiliar, de Santos, para comprar suas empresas em Ribeirão Preto — uma oficina mecânica, uma fundição e uma serraria. Assim, começou a funcionar a “Diederichsen & Hibbeln”, que deu origem ao grupo “Diederichsen & Cia”, responsável pela construção do Edifício Diederichsen, o primeiro com mais de três pavimentos do interior paulista, e também do Hotel Umuarama, além da criação da primeira concessionária de veículos da cidade.

Adhemar De Moraes

Duas fatias de hambúrguer angus (120g) com creme de queijo Canastra e mix de cogumelos, batata frita e condimentos feitos na casa

O hambúrguer é feito com carne bovina angus e vem de Pirassununga (SP). Os condimentos são todos feitos na casa e os cogumelos produzidos em São Carlos (SP).

Adhemar de Moraes é quem assina o projeto arquitetônico original do Palacete 1922. Formado em engenharia civil na Escola de Engenharia Mackenzie, foi na arquitetura onde ele encontrou sua verdadeira vocação. Fundou seu próprio escritório, tornando-se o precursor do estilo colonial brasileiro e chegando ser um dos maiores arquitetos de sua época.

Jorge Lobato

Cowboy steak angus grelhado, com musseline de mandioca, brócolis ramoso grelhado e paçoca salgada de carne seca

A carne bovina é da raça angus e vem de Pirassununga (SP). A carne seca usada na paçoca é feita na casa.

O Palacete 1922 foi a residência do engenheiro Jorge Lobato Marcondes Machado e de sua esposa, Anna, filha do fazendeiro Joaquim da Cunha Diniz Junqueira. Aqui na região de Ribeirão Preto, Jorge Lobato trabalhou na construção dos ramais de Igarapava e de Pontal da Companhia Mogiana de Estradas de Ferro. Também atuou como comerciante, agricultor, empresário e foi dono da Casa Bancária Jorge Lobato e da Fazenda Palmital, na cidade de Sertãozinho (SP), de onde comercializava as águas minerais da Fonte Palmital. Jorge Lobato também participou ativamente do cenário político de Ribeirão Preto. Foi vereador pelo Partido Republicano Paulista (PRP) nos anos de 1926-1929 e 1929-1932, e foi eleito Presidente da Câmara Municipal de Ribeirão Preto em 27/04/1929.

Marchesi

Capitão de cordeiro Dorper com chimichurri de poejo e batata doce cremosa com espinafre e bacon

A carne de cordeiro é da raça Dorper e vem de Pirassununga (SP). O chimichurri é feito com poejo, uma erva da família do hortelã e da menta, cultivada na nossa horta.

A história da família Marchesi em Ribeirão Preto (SP) está associada à figura central do imigrante italiano João Marchesi, grande empreendedor e cafeicultor da nossa região.

Mirim

Escalope de alcatra grelhado com fettuccine ao sugo

Doces Sinhaninha

Compotas de mamão verde, abóbora e laranja, doce de leite aerado e queijo Canastra

A Sinhá Ana, Sinhá Aninha, Sinhaninha, fazia seus doces em calda nos porões do palacete.

Anna Junqueira, esposa do Jorge Lobato, fazia os doces no Palacete. Era filha do Coronel Joaquim da Cunha Diniz Junqueira, conhecido como Quinzinho. Jorge Lobato era seu protegido político e braço direito, ocupando diversos cargos dentro da política de Ribeirão Preto.

Festim Pagão

Bolinhos de arroz doce recheados de creme

Uma mistura de Arancini, o bolinho de risoto, numa versão para sobremesa, com o sabor do nosso arroz doce.

Heitor Villa-Lobos foi compositor, maestro, violoncelista, pianista e violonista, um dos mais importantes e atuantes participantes da Semana de Arte Moderna de 1922. Em três festivais durante a Semana de 22, apresentou ao todo 20 peças, entre elas, Festim Pagão.

As Margaridas de Mário

Torta cremosa de chocolate com gelato fior di latte, creme de café e crumble de chocolate

Esta é uma receita de Lora Brody, que fica entre um bolo e uma torta cremosa de chocolate.

"As Margaridas de Mário" (1922) é um quadro de Anita Malfatti em referência à Mário de Andrade, outra importante figura da Semana de 22.

Pietá

Broa de fubá aerosa recheada de creme chiboust

Prato inspirado na receita francesa de profiteroles, mas feita com a broa.

"Pietá" é uma obra do escultor Victor Brecheret, um dos principais escultores que participaram da Semana de Arte Moderna de 22.

Oswald & Tarsila

Petit gateau de goiabada com gelato de queijo

Versão do clássico Romeu e Julieta.

Tarsila do Amaral era pintora e Oswald de Andrade foi um escritor, ambos representantes do movimento modernista brasileiro e promotores da Semana Arte Moderna de 22. Foram casados de 1926 a 1929.

Salada de Folhas

Mix de folhas com vinagrete de mel e mostarda

PRATOS PRINCIPAIS

Frango à Kiev

Filet de peito de frango recheado de manteiga de ervas com salada de cenouras assadas e vagem no vapor

Steak Au Poivre

Bombom de alcatra grelhado, molho de carne com pimenta preta e batata rústica

Costelinha com Quirera

Costelinha suína assada com quirera de milho cremosa e couve refogada

Peixe à Belle Meunière

Filet de tilápia grelhado ao molho de manteiga, alcaparras e amêndoas com batatas douradas